Adquirida cópia do «A Esgrima Nacional»

Image008Recolhido na colectânea Lisboa Moderna [Livraria Editora Viuva Tavares Cardoso – Lisboa, 1907], o artigo titulado «A Esgrima Nacional» foi originalmente publicado no jornal Diário da Manhã em 1883. Nele o autor relata em várias partes a origem, história e realidade do Jogo do Pau no S.XIX, e estabelece as origens da escola de Lisboa em mestres Galegos.

A Gallaecia in Armis vem de comprar à livraria Manuel Ferreira, a quem ficamos obrigadas polas atençons, uma cópia de essa ediçom original.

Deve ser analisado desde a nossa actual atitude cientifica e os conhecimentos históricos que agora temos –é, após de todo, uma narrativa romanticista, mais interessada na construção da identidade nacional portuguesa que em fazer uma análise histórica fiável. Mas trata-se dum documento que estabelece sem género de dúvida a pratica, pelo menos desde o início do S.XIX, do Jogo do Pau na Galiza a um nível de generalidade e qualidade suficientes para ser qualificado de «escola» própria com mestres entre «os mais dextros que havia em Lisboa».

Image004

A Gallaecia in Armis trabalha na recuperaçom moderna do Jogo do Pau na Galiza, treinando regularmente essa disciplina. Entendemos que se trata de uma arte marcial mais da tradiçom ocidental, escassamente registada –face a esgrima da espada e outras armas «nobres»– pola sua origem popular, com elementos próprios mas comparável a outros estilos existentes ou extintos como o Juego del Palo canário, as variedades do quarterstaff das Ilhas Británicas ou os diversos vara-paus e bastons da Arte Athletica de Paulus Hector Mair, por dar alguns exemplos.

Em esse empenho, recolhemos experiência e tradiçom de pessoas idosas que lembram, ainda hoje, treinar Jogo do Pau os domingos depois de missa, na eira da igreja, ou a figura do «varredor de romarias» presente nas boas festas. Porém, achamos também fundamental indagar nos registos textuais que pudemos achar, e assim remontarmos-nos o mais atrás possível nas origens de essa arte marcial.

Esta recente adquisiçom de uma cópia original do Lisboa Moderna permite, assim, acrescentar a nossa biblioteca com um registo notável das artes marciais galegas.